Eu quero que você sinta saudade

Oi, sê bem-vindo. Espero que esse texto te ajude a amar melhor. Fique com Deus. Boa leitura. 💛


(Leia ao som de Always, i’ll care)

Meu coração está estagnado há alguns minutos naquela angústia igualmente boa e chata de quem vai sentir saudades. Não existe exatamente uma receita que coloque freio nisso. É sentir, abraçar a dor feito travesseiro e esperar o tempo fazer acalmar.

Eu penso em quanta coisa boa aconteceu no que eu vivi e não vai acontecer mais. Não consigo decretar essa fase de mudança como benção ou cruz, mas sei que ela vai se embrenhando corpo adentro e tomando conta dos pés à cabeça. Deitei para dormir um pouco e acabei acordando de susto, porque o processo de deixar a ficha cair costuma ter lapsos de ilusão.

Faço uma lista mental das coisas que perderei: cafés da tarde com doces que eu não deveria comer em tão grande quantidade, mas fingia que podia; visitas repentinas tarde da noite, para tomar um café ou combinar o domingo seguinte; abraços apertados nas voltas para casa ou nas saídas das missas de inverno; e tantas outras coisas que envolvem sorrisos, piadas, afeto. Valeria o preço de brigar com o relógio e estagnar o tempo, mas não adianta.

Fazer a experiência de viver é contemplar pequenas mortes particulares que dão espaço a uma nova vida. Eu, por exemplo, estou me mudando em breve. Cessa com isso a presença de pessoas que eu aprendi a gostar, depois a amar, e que não farão mais parte dos meus dias por anos inteiros – pelo menos. Mas é necessário seguir o caminho.

O coração pesado na hora de dormir, a aflição antes de dar tchau, o medo de deixar no passado uma fase bonita da vida não é mais do que a prova de que valeu a pena. Se não existisse essa pequena dor, essa fagulha de angústia que toma o peito inteiro, o que teria valido a pena naquilo que passou?

Não é bom, mas sentir essa saudade precipitada é tudo o que eu quero. Talvez ela aumente ainda mais depois, okay, faz parte. Não posso levar todo mundo que amo e quero bem para sempre. Mas o que eu vivi se comprime para caber nessas horas de delírio entre o passado e o futuro, entre o que aconteceu e o que virá.

É chato pra burro, mas igualmente bonito. E é justamente isso que eu quero que você sinta em todo processo de transformação da sua vida.

Júlio Hermann.


Se você quiser se inscrever na minha newsletter e receber as conteúdo exclusivos clique aqui. É de graça.

Abaixo, também você conhece meus três livros. Clica naquele que te interessar que você cai na Amazon para comprar com um desconto lindo.

Crédito da foto: aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.