Você jurou que ele sabia o que você sentia

Oi, sê bem-vindo. Espero que esse texto te ajude a amar melhor. Fique com Deus. Boa leitura. 💛


(Leia ao som de I Can’t Make You Love Me)

Você deitou cedo com a esperança de pegar no sono antes de a madrugada chegar e fracassou. Rolou de um lado para o outro da cama, inventou diálogos, abriu o coração em uma cena tão real que quase não parecia fruto da sua imaginação. Mas por que tornar ela real se você tem certeza que o outro sabe o que você sente? É melhor sentar e esperar até ele dar um sinal.

E assim foram indo as primeiras semanas, os três primeiros meses e o meio ano mais ameno da sua vida. Fim de semana após fim de semana você repetia o mesmo ritual: série na televisão, vinho na taça e o celular admirando o mesmo sorriso de sempre. Uma hora ele seria seu. Você seria o motivo. A tal pessoa até sabia, era evidente que você estava ali disponível, a espera de um mísero sinal de fumaça que indicasse reciprocidade. Mas nada.

Até que numa terça-feira dessas você o viu com outro alguém. Seu mundo desabou, virou destroços. Seu coração, coitado, parecia o universo Marvel depois do Thanos estalar os dedos. Era seu amor acabado, seu coração rejeitado, a certeza que o outro tinha do seu afeto indo para o espaço. Mas será que ele sabia mesmo?

Você caiu no erro grave da nossa geração de achar que existe uma linguagem universal para afetos. Te venderam a ideia de que falar de peito aberto era mais covarde e menos descolado do que dizer com todas as letras que seu coração batia mais forte. Então você tentou com uma curtida em foto, um sorriso na rua, um pedido de socorro para terminar um trabalho da faculdade. Jurou que ele entendeu, mas esqueceu que nada expressa o amor tão bem quanto um verbo bem dito.

Não te culpo: num dia você tinha certeza que ele reconhecia seu afeto, noutro sua insegurança apontava que era melhor não arriscar por medo de rejeição. E lá se foi a possibilidade de um amor terno, bonito e duradouro.

Claro, você poderia ter dito tudo o que acontecia do lado de dentro e receber um não bem grande no meio do coração. Mas será que teria sido pior mesmo? Quantos meses você perdeu medindo possibilidades, chegando ao ponto de até elas deixarem de existir? Se tivesse tido coragem lá atrás, talvez você já tivesse perdido as contas dos momentos bonitos que teriam sucedido sua coragem, ou teria economizado meses de um coração aflito e apaixonado.

Mas, tudo bem. Você deitou com a esperança de ter ele do seu lado no dia seguinte, acordou vendo outra mulher que não você no seu lugar. Faz parte. Ao menos, acordou sabendo que um sentimento só toma forma no mundo real quando é verbalizado com todas as letras para quem se ama. E sabe que precisa ser clara de verdade na próxima vez.

Júlio Hermann.


Se você quiser se inscrever na minha newsletter e receber as conteúdo exclusivos clique aqui. É de graça.

Abaixo, também você conhece meus três livros. Clica naquele que te interessar que você cai na Amazon para comprar com um desconto lindo.

Crédito da foto: aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.