Enquanto eu descobria você

(Leia ao som de Thinkin Bout You)

Eu preferi evitar a pressa porque ela poderia nos atropelar e me afastar de você. Colocar as coisas no lugar é processo gradual e constante. Meu coração seria incapaz de lidar com todos os sentimentos de uma vez só depois de ter sido ferido uma dezena de vezes. Confiei que você respeitaria os meus processos.

Não errei.

Conhecer alguém não precisa de afobação. Eu posso descobrir uns detalhes seus hoje, outros na semana que vem. Você provavelmente não vai mudar dos pés à cabeça em quinze dias, vai? Se sim, seu coração ainda vai ser o mesmo, não? Então por que motivo correr? Por que motivo se deixar atropelar ao invés de aprender a apreciar os fragmentos que são do outro?

Eu vivi anos inteiros correndo contra o relógio em uma ilusão de que o amor era uma metáfora para maratonas. Bastava um primeiro olhar, um primeiro sorriso, a primeira batida mais rápida do coração dentro do peito para correr contra o tempo em busca de tornar reais os abraços, visíveis os olhares, constantes os momentos. Mas não deveria ser assim. Acabava que eu só sufocava o amor com uma pressa que não era dele.

Sorte a minha foi ter encontrado você em um momento mais maduro, quando eu já era capaz de compreender que conhecer os seus anseios era de alguma forma conhecer um pouco mais de mim também. Seu amor pela família aumentou o meu, sua sede de mundo colocou no meu peito um desejo de percorrer os quatro cantos do globo, sua escolha por uma vida mais santa e em paz a uma vida com razão mostrou que em mim também havia um pouco de uma indiferença saudável pelo que não dependia de mim.

Conhecer alguém é se conhecer a si também, não é? Seu coração batia como o meu, ainda que não no meu peito.

Não quis correr para não te atropelar; não quis atravessar a rua com pressa para não ser atingido em cheio por defeitos que poderiam vir de ti e me machucariam, ou sairiam de mim e igualmente te feririam.

Porque conhecer alguém é isso: olhar o mundo de um modo novo, com as lentes do outro.

E eu não quis turvar nossa visão.

Júlio Hermann


Espero que você tenha gostado desse texto. Fique com Deus e tenha semana de Páscoa feliz. Que Maria e teu Anjo te ajudem.

Se você quiser se inscrever na minha newsletter e receber as conteúdo exclusivos clique aqui. É de graça.

*Meu terceiro livro (e primeira ficção) já está em pré-venda. Se você gostou deste texto, tem grandes chances de se identificar com ele.

As duas versões de nós dois (40% de desconto)

As duas versões de nós dois: O amor pode ser uma surpresa | Amazon.com.br

PARA COMPRAR:

Amazon

Submarino

Americanas

Travessa

Para comprar o Tudo que acontece aqui dentro e o Até onde o amor alcança, meus dois primeiros livros (com desconto na Amazon), clique aqui.

_

Foto: aqui

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.