Sua insegurança é menor do que você

(Leia este texto ao som de Oceans)

Você sentiu medo quando o seu coração deveria convencer seu cérebro de que tentar talvez valesse a pena. Sair do próprio conforto, lutar por sonhos, amar alguém: nem sempre isso é necessário. Você sobrevive muito bem sem sair do lugar, indo de casa para o trabalho, do trabalho para a casa, com sessões particulares de cinema em domingos à tarde.

Mas, isso é ser honesto consigo mesmo?

Não ter conseguido crescer depois de ter quebrado a cara no muro talvez tenha sido o seu estopim. A partir de então, você começou a viver com guarda alta, como que construindo trincheiras ao redor de si para não cair outra vez nos mesmos erros. Mentiu para si mesma dizendo que o amor não merecia tanto espaço, o que passou a ser uma regra a cada vez que alguém se aproximava.

Será que você não percebeu a burrada que estava fazendo?

Mas eu te entendo, todos nós cometemos estes mesmos erros vez ou outra na vida. Nos convencemos de que somos menos, não merecemos tanto, não vale o esforço. Colocamos nossas próprias existências em guarda-roupas de quartos de hóspedes, para não precisar revirar nossas fraquezas mais do que uma vez por ano.

E vamos deixando de viver.

Não nos abandonamos por um amor porque pode dar errado. Não falamos o que sentimos porque o outro pode não entender bem o que queremos dizer. Não começamos uma vida nova na segunda-feira pela manhã porque os outros podem comentar coisas que talvez não gostemos.

Que bobagem.

Você sentiu medo e seu coração gritou menos alto do que seu cérebro na luta particular que valia a sobrevivência do amor. Eu achei que permanecer no mesmo lugar me levaria a um lugar diferente.

Erro nosso.

Quando a insegurança bate, talvez seja melhor olhar para o que se pode ganhar, não para o capricho de nunca errar o pulo. Quem sabe na próxima oportunidade tenhamos essa consciência.

Afinal de contas, Santa Tereza Benedita da Cruz tinha razão: coragem é ir com medo.

Sua insegurança nunca pode ser maior do que você, ainda que, às vezes, pareça ser.

Júlio Hermann


Espero que você tenha gostado desse texto. Fique com Deus e tenha semana feliz. Que Maria e teu Anjo te ajudem.

Se você quiser se inscrever na minha newsletter e receber as conteúdo exclusivos clique aqui. É de graça.

*Meu terceiro livro (e primeira ficção) já está em pré-venda. Se você gostou deste texto, tem grandes chances de se identificar com ele.

As duas versões de nós dois (40% de desconto)

As duas versões de nós dois: O amor pode ser uma surpresa | Amazon.com.br

PARA COMPRAR:

Amazon

Submarino

Americanas

Travessa

Para comprar o Tudo que acontece aqui dentro e o Até onde o amor alcança, meus dois primeiros livros (com desconto na Amazon), clique aqui.

_

Foto: Natasha-Dmay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.