Você está proibido de reclamar em 2021

(Leia este texto ao som de Shotgun)

Todos os anos eu ensaio textos práticos de como você pode fazer para que o seu ano novo faça sentido. Não é em vão: eu e você sabemos que todo dezembro é um grito às nossas consciências implorando mais esforço da nossa parte. Não porque nos doamos pouco, mas por que precisamos aprender a gastar nossos corações no que realmente importa.

Assim, a última semana do ano acaba sendo sempre de faxina. É quase como alugar uma casa nova e precisar preencher os armários antes de começar a se viver lá. É parte do processo, necessário para dar mais vida.

Hoje, eu queria propor uma coisa diferente.

Depois de um 2020 de ponta-cabeça – e só Deus sabe o quanto crescemos e aprendemos neste ano – eu quero te fazer um convite para levantar a bandeira do crescimento em 2021.

Eu – e provavelmente você também – perdi bastante tempo neste ano reclamando de coisas que aconteceram, ou fiquei minutos incontáveis deitado no sofá me lamentando por detalhes que fugiam do meu alcance. E isso não necessariamente pois eu achava ser o melhor a se fazer, mas porque calhava de ser mais fácil: é menos complicado colocar a dor no foco e dizer que é assim mesmo do que amá-la e crescer com ela.

Por isso, o desafio é o seguinte: em 2021, você está convocado a evitar todas as reclamações possíveis. Sim, você ainda deve se lamentar e doer pelos seus erros, usar deles para crescer, se arrepender do que não estiver certo. Mas, antes de colocar a culpa nos seus vícios, no tempo chuvoso do lado de fora, no chefe que não colabora para a sua felicidade, você está convocado a agradecer a Deus pelo desconforto e seguir caminhando.

Sabe quando alguém fala “aranha” e você começa a sentir como se alguma coisa estivesse caminhando na sua perna? É mais ou menos assim. Falar do desconforto potencializa ele dentro dos nossos corações. Então, quando a dor chegar, e ela aparecerá em algum momento, o seu papel – e o meu – no ano que vem vai ser sorrir para ela e seguir em frente.

Sorrir e seguir em frente. Ok?

Fazer isso provavelmente não te deixará rico nem mudará o mundo ao seu redor da água para o vinho, mas mudará você.

E isso é motivo mais do que suficiente para, ao menos, tentar.

Júlio Hermann


Espero que você tenha gostado desse texto. Fique com Deus e tenha um santo e feliz Natal.

Se você quiser se inscrever na minha newsletter e receber as conteúdo exclusivos clique aqui. É de graça.

*Meu terceiro livro (e primeira ficção) já está em pré-venda. Se você gostou deste texto (que se inspira nele), tem grandes chances de se identificar com ele.

As duas versões de nós dois

As duas versões de nós dois: O amor pode ser uma surpresa | Amazon.com.br

PARA COMPRAR:

Amazon

Submarino

Americanas

Travessa

Para comprar o Tudo que acontece aqui dentro e o Até onde o amor alcança, meus dois primeiros livros (com desconto na Amazon), clique aqui.

Foto: crédito aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.