Não sou mais quem era ontem

(Leia este texto ao som de Hear You Me)

Perceber que o tempo não volta não deve ser exatamente desesperador. Antes, um consolo. Como as águas nos rios correm, como o vento bate no rosto e muda de direção, como o dia que inicia claro termina iluminado pela lua: vida sempre nova. Nada é estático, igual, imutável.

Depois que a noite passou e o sol nasceu no horizonte de novo, eu não fui mais quem era. Alguns sonhos permaneceram iguais, alguns amores não mudaram de forma no meu coração, mas eu havia dado passos em direção ao um futuro do qual eu não posso regredir.

Acho que deve ter sido assim com você também. Os amores que você amou na semana passada ficaram lá, no dias que não farão mais parte dos nossos calendários. Os abraços dados se romperam e dissolveram em pó no instante em que o relógio continuou trabalhando. Os sorrisos marcaram páginas estranhas de um livro que não teremos a oportunidade de ler de novo.

É assim com todo amor. Não queremos que acabe, quase temos pesadelos em pensar nos laços sendo desatados. Mas, no fim das contas, quando a corda se rompe de tanta força que fizemos para segurar, o mundo deixa de ser o que era. O trabalho de pegar os pedaços do coração e reconstruir para uma vida nova é todo nosso.

Mas, sabe de uma coisa? Alguns sorrisos ficaram no passado, mas um amontoado de escombros também ficaram lá. E estes também não voltarão agora.

Mudar é a maior das bençãos que Deus opera em nós por meio do tempo.

Se o meu coração não tivesse sentido o rompimento do amor lá atrás, um maior e mais sublime não teria espaço para viver em mim. Hoje eu caminho em direção a ele.

Eu acordei sendo um, vou dormir sendo outro.

O que ficou lá atrás importa, sim, mas o foco do meu coração deve ser o amor que eu viverei quando acordar outra vez.

Eu não sei se fui bom ontem, mas tenho a necessidade de ser amanhã.

Que eu chore menos o que se quebrou lá atrás e brinde mais o que há de se construir agora. Nada é estático: nem a vida, nem o tempo, nem eu. Que bom.

O amor seja o único a permanecer sempre igual e sempre maior em mim.

Júlio Hermann


Espero que você tenha gostado desse texto. Fique com Deus.

Se você quiser se inscrever na minha newsletter e receber as conteúdo exclusivos clique aqui. É de graça.

*Meu terceiro livro (e primeira ficção) já está em pré-venda. Se você gostou deste texto (que se inspira nele), tem grandes chances de se identificar com ele.

As duas versões de nós dois (45% de desconto)

As duas versões de nós dois: O amor pode ser uma surpresa | Amazon.com.br

PARA COMPRAR:

Amazon

Submarino

Americanas

Travessa

Para comprar o Tudo que acontece aqui dentro e o Até onde o amor alcança, meus dois primeiros livros (com desconto na Amazon), clique aqui.

Foto: crédito aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.