Você só queria um motivo para ficar

(Leia este texto ao som de Broken)

Você desistiu de ir embora porque talvez insistir um pouco mais – ainda que cegamente – consertasse as coisas. Se convenceu diante do espelho que a paixão que você sentia não tinha se transformando em algo que você já não sabia identificar – porque o amor permanecia ali, intacto. Mas não era o suficiente.

Seu coração não queria iniciar a jornada toda de novo. Conhecer alguém, puxar conversar, contar da vida, convidar para passear no parque e só então dar as mãos uma primeira vez. Era trabalhoso demais para quem chegava ao fim do dia esgotada do trabalho, do estudo, dos trinta minutos parada em pé na fila do banco para não conseguir resolver um mísero problema.

Sua mente não conseguia mais. O peso era imenso. A bagagem era pesada. Por que começar do zero? Você queria entender o motivo, mas não conseguia.

No jantar que você forjou para dois e esqueceu de o convidar, no fim de semana em Búzios que você comprou na promoção e decidiu que seria melhor ficar por casa para descansar, no cinema de quinta que você resolveu pegar sozinha para o deixar aproveitar um pouco os amigos. Existia uma fuga que você não reconhecia, porque o amor permanecia intacto. Mas talvez ele já não habitasse o mesmo lugar em ti.

Foi quando o sol nasceu numa terça pela manhã que você percebeu que o amava, mas não o queria mais do mesmo jeito de antes. Não colocando as mãos uma sobre a outra na hora de assistir Masterchef no sofá da sala; não dividindo a mesma agenda todos os fins de semana. E a culpa por ele ser incrível e você não ser capaz de corresponder ao sentimento devorava dos pés à cabeça quem você gostaria de ser com ele, mas não conseguia.

Você quase desistiu uma segunda vez de ir embora de quem vocês eram, porque temia perder ele no caminho e nunca mais o ter contigo. Sua mente, o peso nos seus ombros, o pavor sombrio de uma madrugada de choro eram só os primeiros sinais disso. Você só queria encontrar um motivo para deixar as coisas como estavam.

Porque você ainda o amava, poxa. E ele também.

Mas estar juntos é só uma das formas de amar. E você precisava fazer o que seu coração pedia.

Júlio Hermann


*Meu novo livro já está à venda em todo o Brasil. Se você gostou deste texto, tem grandes chances de se identificar com ele.

Até onde o amor alcança

[capa] Até onde o amor alcança - 02.indd

“UM DIA VAI SER AMOR A PONTO DE O CORAÇÃO NÃO PRECISAR CONVENCER O CÉREBRO DISSO.
ATÉ LÁ EU ARGUMENTO”.

PARA COMPRAR:

Amazon

Saraiva

Livraria Cultura

 

Créditos da foto: Tobi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.