Eu tenho medo que meus sonhos se materializem

(Leia este texto ao som de The Woods)

Às vezes os sonhos dos quais eu acordo pela manhã me atormentam. Às vezes são as memórias que mantenho em mim. Acontece toda vez que eu preciso colocar na balança como as coisas estão caminhando pela minha vida.

Como medir o que ficou do passado e preencherá meu coração agora?

De vez em quando eu preciso abraçar a saudade para continuar caminhando. Existem manhãs em que ela me visita como o sol que rasga as frestas da cortina. Invade o quarto e me alcança na altura do rosto. Esquenta a pele até o meu cérebro identificar o desconforto e me acordar de súbito.

Você já viveu com a impressão de que algo ainda te prende ao que passou? A sensação que eu tenho é de liberdade completa na maioria dos dias, mas isso não impede que meu peito sinta fisgadas de vez em quando. Eu tento guardar o máximo do passado que consigo em mim, para crescer o máximo possível com o que permaneceu lá atrás. No entanto, alguns fantasmas resolvem acordar em segundas pela manhã.

Eu sinto que o amor que marcou a minha vida até aqui ficará para sempre registrado na pele. De alguma forma eu tento justificar as marcas que carrego no rosto. Nada foi em vão, eu sei. Tudo poderia estar diferente também, eu sei. Mas, nada disso deve ser capaz de me tirar de mim.

Depois de acordar, eu tenho medo que os sonhos da madrugada se materializem na minha frente. Me culpo pela forma com que agi neles, sinto a garganta apertar em um nó agudo. Como entender que não é real no mundo físico? Como entender que tudo acaba quando o sol atinge minha pálpebras?

Eu sinto saudade, muita. Mas a vida elabora alguns processos para nos fazer crescer independente da dor, já percebeu? Eu tento encarar a minha realidade com essa crença enraizada no meu ser.

No meu sonho, abracei e dei um suspiro sincero. Não era mesmo real? Parecia ser. Minha mente insiste em achar que é, mesmo horas depois de eu acordar.

Vida que segue. Às vezes os sonhos da noite me atormentam, noutras vezes são as memórias de dias passados que eu guardo ao abrigo do sol e do calor dentro de mim.

Vai ver isso tudo seja só sinal de que talvez eu tenha medo de acordar para algumas realidades da vida.

Júlio Hermann

_

*Meu primeiro livro já está à venda em todo o Brasil. Se você gostou desse texto, tem grandes chances de se identificar com ele.

Tudo que acontece aqui dentro – cartas de amor nunca rasgadas

capa Tudo o que acontece aqui dentro (1).jpg

“Você lê aquilo que sempre quis dizer a alguém – ou a si mesmo -, mas que nunca teve coragem de tirar de dentro de si.” – Daniel Bovolento, autor de Por onde andam as pessoas interessantes? e Depois do fim.
_
Para comprar: 

Saraiva (com 35% de desconto)
Amazon
Livraria Cultura
Martins Fontes
Fnac
Livraria da Travessa
Lojas Americanas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s