Se não for dessa vez

(Leia este texto ao som de Sailing)

Você não acredita que a lógica do mundo vai inverter justamente agora e as coisas darão certo – pelo menos dessa vez. Acreditou em tantas outras, cravou os joelhos no chão em um reza tímida que não coloca as coisas em xeque, mas não adiantou muito. Parece que nunca vai, nunca irá.

Ao mesmo tempo em que ele parece um cara legal, você não acredita muito no mundo, né? Pessoas são corrompíveis, por mais que não pareçam. Eu posso ser, você também. E não foram poucas às vezes que eu pisei na bola até aqui. Existe uma penca de pessoas que eu amo feridas justamente por isso. Então, eu te entendo.

Talvez seja um pouco de calma que teu peito precisa.

Nós temos o costume de colocar o pé no acelerador com força demais. Nem sempre isso é bom. Forçamos as pontas dos dedos contra o pedal do carro para as coisas acontecerem mais rápido do que costumam acontecer. A outra pessoa encaixa perfeitamente na vida que sonhamos, nos momentos que planejamos e naquilo que sentimos do lado de dentro. Mas será que a simetria é perfeita assim do lado de lá?

Por mais que exista a reciprocidade, nem sempre acontece. Timing, fatores externos, problemas internos que não somos capazes de controlar. Nada parece sair da estaca zero. Não existe glória, não passa do raso que as coisas insistiam permanecer com quem você não gostava tanto como é com ele. Não vai para frente, a sensação que fica é de que o match nunca vai chegar.

Parece clichê demais, eu sei, mas as coisas precisam do seu tempo para acontecer. Com o passar dos dias, cada pequeno detalhe vai tomando o seu lugar. Você o ama, ele parece sentir o mesmo por você. Mas, às vezes, as coisas saem diferente do que os dois imaginaram enquanto planejavam o que fazer no natal que vem.

Talvez ele pise na bola.
Talvez você erre feio dessa vez.
Talvez os dois só precisem esperar um pouco mais para a mágica acontecer.

Mas essa espera só te faz desacreditar mais, não faz?

Tudo bem se você sentir vontade de chorar. Não precisa colocar a culpa na alergia que o inverno te traz, algumas coisas foram feitas para transbordarem mesmo. Até eu, que sinto uma dificuldade imensa de me permitir derramar, preciso extravagar algumas vezes.

Eu entendo a dor, de verdade. O quase permanente continua a doer aqui muitas vezes também. Mas o tempo vai maturar a vida e te dará muito mais do que você espera receber.

Vai ver só precisemos abrir nossos corações ao ponto de eles sentirem nas próprias fibras a dor de entender que talvez precisamos esperar um pouco mais. Ou, que não será dessa vez também.

Se não for, tudo bem. Logo será.

Se for, entenderemos o porquê da demora e de não ter dado certo com ninguém antes.

Júlio Hermann

_

*Meu primeiro livro já está à venda em todo o Brasil. Se você gostou desse texto, tem grandes chances de se identificar com ele.

Tudo que acontece aqui dentro – cartas de amor nunca rasgadas

capa Tudo o que acontece aqui dentro (1)

“Você lê aquilo que sempre quis dizer a alguém – ou a si mesmo -, mas que nunca teve coragem de tirar de dentro de si.” – Daniel Bovolento, autor de Por onde andam as pessoas interessantes? e Depois do fim.
_
Para comprar: 

Saraiva (com 30% de desconto)
Amazon
Livraria Cultura
Livraria da Folha
Martins Fontes
Fnac
Livraria da Travessa
Lojas Americanas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s