Você acredita de verdade nas coisas que diz?

(Leia este texto ao som de If I Lose Myself)

Eu sou uma pessoa que costuma empilhar coisa em cima de coisa para fazer. Dezenas de temas diferentes para escrever, agenda quase cheia o tempo inteiro e uma série de pessoas que eu amo para visitar. Quase que o tempo inteiro sem conseguir olhar em volta e perceber o tamanho do que acontecido. Tudo aparentemente sob controle. Até que eu levei uma rasteira em um questionamento de um leitor.

Uma pergunta que nos faz pensar é uma pergunta para a qual não temos resposta imediata. Não foge do nosso campo de conhecimento, não escapa da frente dos nossos olhos, mas é o suficiente para inquietar uma realidade inteira que vive dentro da gente.

Tem a ver com nós mesmos.

Nos últimos dias eu recebi um e-mail que perguntava se eu acreditava nas coisas que escrevia – e, por consequência, se eu acreditava no amor. Eu senti as coisas pararem por dois segundos depois de me dar conta do que estava acontecendo ali. Como assim não acreditar?

Eu já ouvi muitas vezes que escrevia sobre utopia ou sobre o que inventava. Diziam que eu acreditava no amor porque escrevia sobre ele. Diziam que eu enfeitava demais porque fazia parecer bonito demais. Mas, perguntarem se eu acredito mesmo? Isso nunca passou perto dos meus pensamentos.

Quando me dei conta, estava resgatando coisas que eu nem sabia existir aqui dentro. Todos nós passamos por momentos de ceticismo na vida, mas responder que não acredito no amor seria pequeno demais quando o vejo tanto por aí. Isso não quer dizer que eu não passe por momentos de dúvidas, mas existe tanta doação gratuita à minha volta que eu estaria cegando minha própria vista para não perceber isso.

O reverberar disso tudo vem de encontro com a pergunta que eu quero te fazer agora: você acredita de verdade nas coisas que diz? Não precisa ser o tempo todo, o dia inteiro, em cada batida que o teu peito der. Mas, se existir uma certeza-combustível no caminho, ainda que pequena, já é o suficiente para continuar.

Se eu acredito no amor? Acredito, sim. Acredito em pessoas que se amam, no amor que Deus tem por cada uma das poeiras que somos e nas manifestações gratuitas que vemos por aí. Existem momentos de dúvida, claro que existem, mas isso não é maior do que a convicção que eu tenho pelo que sentimos.

A pergunta me bateu com tanta força porque eu nunca tinha pensado nisso. E, quando eu me dei conta de tudo o que acreditar no amor significa, meu coração sentiu um conforto muito grande.

E, você: acredita no que escreve-conta-enxerga por aí?

Júlio Hermann

_

*Meu primeiro livro já está à venda em todo o Brasil. Se você gostou desse texto, tem grandes chances de se identificar com ele.

Tudo que acontece aqui dentro – cartas de amor nunca rasgadas

capa Tudo o que acontece aqui dentro (1).jpg

“Você lê aquilo que sempre quis dizer a alguém – ou a si mesmo -, mas que nunca teve coragem de tirar de dentro de si.” – Daniel Bovolento, autor de Por onde andam as pessoas interessantes? e Depois do fim.
_
Para comprar: 

Saraiva (com 30% de desconto)
Amazon
Livraria Cultura
Livraria da Folha
Martins Fontes
Fnac
Livraria da Travessa
Lojas Americanas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s