Isso não vale sua saúde mental

(Leia este texto ao som de What If This Is All The Love You Ever Get?)

Os calcanhares batendo apressados embaixo da mesa e os dedos das mãos cutucando na superfície de madeira, acusando o modo com que o coração tem bombeado o sangue de modo acelerado. Não dá para disfarçar ou fingir que não. O melhor é esperar a hora de agir e ver no que dá.

Um dos grandes problemas que eu enxergo na nossa geração é o medo constante de ver nossa saúde mental abalada por alguma coisa do contexto de nossas vidas. As obrigações no trabalho, as provas difíceis nos estudos ou o medo de as coisas não saírem como devem sair em cada um dos âmbitos de nossas vidas. Mas será que a gente tem prestado atenção nisso mesmo?

Eu falo isso depois de fazer uma autoanálise, daquelas dolorosas de se fazer. Me dei conta disso depois de um amigo me lembrar que a água é molhada. É óbvio, o respondi. Eu sei – me disse -, e a gente odeia ouvir o que já sabe, mas às vezes é preciso para nos colocar na vida outra vez.

O que estamos cansados de ouvir ou saber. Geralmente é exatamente disso que nós precisamos para tomar uma dose de consciência sobre o que tem acontecido. Debochamos mentalmente, mas até o pleonasmo é importante. Nos coloca em nossos lugares outra vez. Lembram a gente de que mérito nenhum vale a nossa saúde mental.

A nossa geração sente uma necessidade absurda de autoafirmação. Eu não quero generalizar, mas observo isso por mim e por algumas situações que me cercam. E isso gera um amontoado de consequências que, olha, boa sorte para o psicólogo que se arriscar em tratar.

Quem sabe seja hora de colocarmos o pé no freio. Tá tudo bem não sair tudo 100% bem no trabalho ou não tirar 10 o tempo inteiro. Tá tudo bem ter que encarar a dor, a ditadura da felicidade não precisa tirar a nossa sanidade hoje. Amanhã as coisas voltam a ficar bem e precisaremos estar inteiros para aproveitar isso.

O dia de hoje com seus problemas, o de amanhã que dê conta dos seus. O que nós precisamos é parar de viver uma vida à flor da pele se isso tem prejudicado nossa saúde mental. Nada, alegria passageira nenhuma é capaz de pagar nosso bem.

Júlio Hermann

_

*Meu primeiro livro já está à venda em todo o Brasil. Se você gostou desse texto, tem grandes chances de se identificar com ele.

Tudo que acontece aqui dentro – cartas de amor nunca rasgadas

capa Tudo o que acontece aqui dentro (1).jpg

“Você lê aquilo que sempre quis dizer a alguém – ou a si mesmo -, mas que nunca teve coragem de tirar de dentro de si.” – Daniel Bovolento, autor de Por onde andam as pessoas interessantes? e Depois do fim.
_
Para comprar: 

Saraiva (com 35% de desconto)
Amazon
Livraria Cultura
Livraria da Folha
Martins Fontes
Fnac
Livraria da Travessa
Lojas Americanas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s