Você não precisa responder todas as mensagens

(Leia este texto ao som de Fix You)

Uma das coisas mais libertadoras para mim nos últimos tempos foi perceber que eu não precisava zerar o número de notificações do meu Whatsapp. O mundo não seria nem mais nem menos meu por isso. E o desgaste excessivo de uma perda de tempo respondendo muita coisa inútil me fez perceber que eu mesmo me perdia de mim sem me dar conta.

Eu não sei se você é como eu, mas eu sempre tive o costume de achar que quanto mais eu trabalhasse, mais feliz eu seria. Uma hora a mais no fim do expediente, uma obrigação a mais na lista para ficar rico um ano mais rápido. Uma prosperidade ilusória que enganava o meu sono e me fazia acreditar que eu estaria indo mais longe do que conseguiria se minha rotina fosse outra. Trabalho em tempo integral, faculdade durante a noite e livro novo para ser escrito na madrugada.

Nada saindo como deveria.

A verdade é que eu não preciso enriquecer mais rápido, não se isso for tirando a minha qualidade de vida. Talvez eu nem precise enriquecer, mas uma realidade em que eu possa viver bem e viajar uma vez por ano já o suficiente. Eu não preciso mais que o básico para ser feliz, então por que comprometer minha saúde física e mental para alcançar algo que não me fará tão feliz assim?

Trabalhar é importante, sim. E se esforçar no trabalho é tanto quanto. Mas nada vale o esforço se não pudermos desfrutar de um momento de paz durante o dia. Os sonhos, o que queremos comprar e o carro do ano por si só não pagam o duro que damos para proporcionarmos algo de valor a nós mesmos.

Talvez o importante não seja fazer tudo que aparecer na minha frente no escritório, se eu não conseguir fazer cada uma das coisas com o amor e dedicação que merecem. Talvez uma nota razoável e o conteúdo entendido vala mais do que ser o primeiro da turma e esquecer na semana seguinte o que eu havia decorado para a prova da faculdade. Talvez uma viagem por ano seja o suficiente para me manter feliz, se o peso de trabalhar para poder conhecer mais lugares me impedir de viajar nos meus próprios pensamentos de vez em quando.

Diferente de algumas coisas na vida, os grupos de Whatsapp e os memes que eu dava tanta atenção outrora podem esperar dessa vez. A sensação de que eu sou incrível por conseguir dar a mesma atenção para tudo na vida não me faz mais feliz, só me desgasta mais. Trabalho, faculdade e tudo o que faz parte dos meus dias podem esperar um pouco para que eu possa pensar com um pouco mais de carinho em quem amo e nas coisas que fazem verdadeiramente falta ou me fazem feliz.

_

*Meu livro já está à venda em todo o Brasil. Se você gostou desse texto, tem grandes chances de se identificar com ele.

Tudo que acontece aqui dentro – cartas de amor nunca rasgadas

capa Tudo o que acontece aqui dentro (1).jpg

“Você lê aquilo que sempre quis dizer a alguém – ou a si mesmo -, mas que nunca teve coragem de tirar de dentro de si.” – Daniel Bovolento, autor de Por onde andam as pessoas interessantes? e Depois do fim.
_
Para comprar: 

Saraiva (com 25% de desconto)
Amazon
Livraria Cultura
Livraria da Folha
Martins Fontes
Fnac
Livraria da Travessa
Lojas Americanas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s