O que você quer de mim?

(Leia este texto ao som de Closer)

Não sei bem a estação do ano lá fora, mas coloquei uma coberta a mais para dormir ontem, quase como se previsse que precisaria vestir o casaco hoje. Tô me sentindo meio assim nos últimos dias, intercalando entre a sensação de queimar em brasa e passar frio depois de virar cinza.

Houve uma tarde em que ela encostou o carro aqui na frente de casa e perguntou se precisava de ajuda para arrumar o jardim. Disse que não sabia muito bem o que ia fazer da vida e quis saber a quantas anda as histórias que escrevo no diário antes de dormir. Convidei para entrar, ofereci uma garrafa de cerveja antes de ela dizer que precisava ir e passar as mãos devagar pelas minhas costas. Nunca havia sentido tanta ternura como ali.

No mesmo dia, logo antes de dormir, liguei para saber se as coisas iam bem do lado de lá. Não foi a mesma coisa. Conversa fria demais para quem bateu aqui em casa e entregou um pouco de si horas antes, mas tudo bem, deve ser cansaço – pensei. Amanhã volta ao normal.

Passei pensando nisso a manhã inteira depois de acordar no dia seguinte. Encarei os registros para ver se o tempo passava e as coisas faziam algum sentido. Cheguei a sorrir porque tudo ia bem, até que resolveu jogar umas verdades na minha cara.

Disse que não dava mais e que a gente não podia mais se ver. Me tranquei no quarto o resto do dia inteiro, fiquei olhando as flores precisando de reparos no pátio de casa enquanto tentava entender tudo. Mas algumas coisas não foram feitas para serem entendidas. Se fossem, perderiam a graça.

A verdade é que de vez em quando não sabemos exatamente o que sentimos pelas pessoas e ficamos nessa batalha interna que demonstra amor e reprova logo depois. É cruel com quem tá do outro lado, é cruel comigo nesse caso. Mas todo mundo passa por isso em algum momento da vida.

(Me siga no instagram | facebook | twitter)

Perguntam por que raios eu insisto nisso se num dia tô sorrindo e no outro limpando as feridas para não infeccionar. Respondo que só insisto.

Insisto porque vez ou outra na vida a gente se encontra nessa situação desfigurada de querer alguém que talvez não nos queira de volta. Mas isso não muda o fato de nos fazerem baixar a guarda em toda vez que deixam um pouco de afeto escapar pelo canto dos dedos.

Júlio Hermann

Oi. Eu criei um perfil no instagram para publicar alguns trechos de filmes. Seguindo lá, você pode me ajudar a levar amor a cada vez mais pessoas.

Por que você não diz o que quer de mim?

Uma publicação compartilhada por Julio Hermann (@ojuliohermann) em Jul 11, 2017 às 8:39 PDT

 

Um comentário sobre “O que você quer de mim?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s