É hora de seguir

(Leia este texto ao som de Title and Registration)

Tô rolando inocentemente a barra do instagram para baixo quando tropeço em uma fotos dos dois. Sorriso verdadeiro, braços sobre os ombros, paisagem no fundo da imagem. Parece que foram viajar juntos. Resolveram correr pela areia na beira da praia e sentar no ponta do arpoador para registrar o momento. Um mês atrás era eu quem estava ali do lado quase da mesma forma.

Reparar nessa mudança repentina de cenário me faz olhar o mundo com outros olhos. Quando nos conhecemos, poderia jurar que conseguiríamos levar por um tempo maior o que tentávamos construir. Não subiu parede, não fizemos abrigo no peito do outro. Não deu o estalo. Desistimos da mudança logo depois de acreditar que seria desta vez. Era eu do lado, sim, mas não era para continuar sendo.

Alguns amigos diriam que a postagem foi programada para me atingir, mas não penso que tenha sido assim. Somos adultos demais para tentar ferir o outro com o que não é preciso. Conheço bem o perfil do lado de lá. Sou adulto o suficiente também para não me deixar ferir por alguma coisa que minha cabeça e meus músculos todos sabem que não teria futuro. É só quê.

É só que eu queria seguir a vida também. Digo, não me sinto preso à ela lá atrás, só tenho a sensação de que algo me segura. É muito mais um sentimento de cansaço particular do que uma tentativa de libertação das correntes. É só que eu queria encontrar alguém para tentar erguer morada só mais dessa vez.

De vez em quando, não é a felicidade alheia que dá um soco em nossos estômagos, é a maneira como temos vivido por nós mesmos. É o fato de termos jogado a tolha e decretado o término da linha sem esforço nenhum para manter as coisas de pé dentro do peito. É a falta de vontade que vai se embrenhando pelas veias e fazendo a gente deixar para lá.

Reparar em como a vida pode seguir e andar léguas em um mês me fez olhar para dentro de mim com outros olhos. Chega um momento inevitável no meio da existência em que seremos nós por nós mesmos. Podemos parar, sim, mas a vida segue do lado de fora, as pessoas também. Do mesmo jeito com que nós deveríamos seguir.

(Me siga no instagram | facebook | twitter)

Eles estão juntos, não era para ser eu. Fico feliz pelo sorriso sincero enquanto assistiam o sol despencar no horizonte. Parece que resolveram seguir a vida em vez de deixar o universo tomar distância enquanto permaneciam parados. Um tempo atrás eu seguia também, até que parei.

Chegou a hora de levantar outra vez.

Por ninguém.

Pelo monte de histórias que eu tô perdendo enquanto o mundo segue correndo do lado de fora.

Júlio Hermann

Foto do blog ASPYN OVARD

3 comentários sobre “É hora de seguir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s